Galvão e São Bernardino decretam situação de emergência após enchente

08/01/2013 16:55

 

Região – A população de Galvão e São Bernardino sofre com a enchente que deixou famílias desalojadas. Em Galvão, o Rio Saudadinha, que corta a periferia da cidade, causou estragos inundando cerca de 70 casas. No centro, o Rio Saudades também saiu das margens e causou danos às residências. 

Segundo o prefeito Neri Pederssetti, mais de 300 pessoas ficaram desabrigadas em Galvão. “O município colocou a disposição toda a equipe para auxiliar nos trabalhos. Graças a Deus não tivemos nenhuma vítima”, revela.

A cidade de Galvão encontra-se sem água potável, pois o sistema de distribuição foi afetado e não há previsão de retorno. No interior, o Rio Feliciano destruiu com seis pontes.

A realidade de São Bernardino também é crítica. O Rio Três Voltas, que passa pela cidade, subiu sete metros, alagou 50 residências e destruiu três casas. Como medida de segurança, a Celesc desligou a rede até o meio dia.

Conforme o morador, Flávio de Souza Mello, foi horrível tudo o que aconteceu. Ele dormia com a esposa, quando um tio telefonou e avisou da intensidade da enchente. “Levantei e fui ver, a água estava invadindo a casa. É muito triste, mas a nossa preocupação era com a vida”, relembra. Além da casa, o morador perdeu os móveis, eletrodomésticos e o carro.

Segundo o integrante da Defesa Civil Municipal de São Bernardino, Leonir Ludwig, o abastecimento de água da cidade foi interrompido, porque houve o rompimento de dutos. “Além do prejuízo que está sendo avaliado nas lavouras, tivemos estragos nas margens do rio e das estradas que foram danificadas com a intensidade da chuva”, relata.

As duas cidades encaminharam um ofício informando o decreto de situação de emergência junto a Defesa Civil do Estado.

Apoio

Para o prefeito, Ivo Ludwig, em todo o tempo que reside em São Bernardino, nunca havia visto uma invasão do rio como a que aconteceu na manhã de terça-feira. O Poder Público Municipal colocou toda a estrutura à disposição dos desalojados.

Como forma de ajudar as vítimas da enchente, o município disponibilizou alimentação e água potável. Colchões e roupas foram distribuídos. No período da tarde.

Mais problemas na região

A enxurrada estendeu prejuízos para famílias dos municípios de Campo Erê, São Lourenço do Oeste e Novo Horizonte. Informações da Defesa Civil registraram 500 mm de chuva, três vezes acima do normal para esta época do ano na região.

Moradores tentaram salvar os pertences, no entanto, com a rápida elevação da água, a maior preocupação foi com a vida dos moradores. O Rio Três Voltas em São Bernardino passou por cima da Rodovia SC-473 e pessoas foram retiradas pelos bombeiros de Campo Erê e policiais rodoviários do posto de São Lourenço do Oeste. Ainda não foi realizado um levantamento oficial para calcular os prejuízos.

Falta de água

Em São Lourenço do Oeste a Casan interrompeu o abastecimento de água na cidade. A forte chuva inundou a sala das bombas de captação no Rio Macaco. A manutenção tem que ser feita numa central em São Miguel do Oeste. A Casan informou que a previsão de restabelecer a distribuição de água deve ocorrer a partir do meio dia desta quarta-feira (9).

 

Fotos: RedeComSC


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!