Casos de dengue aumentam 480% em Santa Catarina

29/03/2013 11:22

 

As 122 pessoas com a doença confirmada teriam se infetado em outros estados.

 

 



 

O número de casos de dengue registrado em 2013 em Santa Catarina aumentou 480% em relação ao mesmo período de 2009. É o maior percentual desde então, que aliado à elevação dos focos do mosquito, preocupa a Vigilância Epidemiológica (Dive).

Foram confirmados 120 pessoas infectadas pela doença. O aumento dos casos aliado ao elevado número de 1.197 focos de mosquitos verificados no Estado, preocupa a gerente de Vigilância e Zoonoses da Dive, Suzana Zeccer.

Segundo Suzana, é necessário evitar que esses mosquitos piquem os doentes, contraiam a dengue e transmitam o vírus em Santa Catarina, único estado que nunca registrou infecção causadas internamente. Segundo a Dive, todos os casos são importados, ou seja, infectados em outros estados ou países.

— Os hospitais notificam os suspeitos de estarem doentes e a Vigilância Epidemiológica encaminha o paciente para exames e comunica o grupo de controle para que façam a vistoria no local em que a pessoa mora. Isso é emergencial, para evitar o contato do doente com o mosquito, explica a gerente de Zoonoses.

Ela diz que o aumento de registros de dengue no Estado é um reflexo do que ocorre no país. Segundo o último boletim epidemiológico, divulgado em 25 de fevereiro pelo Ministério da Saúde, 204.650 pessoas contraíram a dengue no Brasil, quase o triplo do mesmo período de 2012, quando foram identificados 70.489 casos.

Para evitar a proliferação do transmissor da doença, as vigilâncias epidemiológicas dos municípios de Santa Catarina contam com 20 mil armadilhas, que são visitadas semanalmente por mais de 700 agentes. Se forem detectados ovos ou larvas do mosquito, é feito o monitoramento em um raio de 300 metros do imóvel por um ano. Segundo Suzana, isso ajuda a definir uma reação contra a presença do mosquito.

O número de cidades com pessoas infectadas também bateu recorde. De acordo com Suzana, nunca se registrou tantos casos nos primeiros meses do ano quanto em 2013, que alcançou 54 municípios. O índice é maior em Florianópolis (19), Joinville (13) e Itajaí (12).

— É possível a chegada de focos e da doença em qualquer um dos 295 municípios catarinenses, o que mostra como somos vulneráveis. Por isso é tão importante evitar acúmulo de água em vasos, pneus e sempre manter caixas da água cobertas — alerta a gerente de Zoonoses.

 



Fonte: Diário Catarinense | Foto: Reprodução

 
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!