Chapecoenses sobrevivem e ajudam no resgate

28/01/2013 13:50

 

Santa Maria (RS) – Dois chapecoenses que estavam na boate Kiss, em Santa Maria, no momento do incêndio, sobreviveram a tragédia e ajudaram no resgate das vítimas. Guilherme Ferreira da Luz e Paulo Ricardo Magro Junior são de Chapecó e moravam em Santa Maria para estudar.

Os dois saíram bem fisicamente da tragédia. Guilherme, no entanto, precisou ser internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) algumas horas após o incêndio, com queimaduras na garganta e pulmões. Até ontem à noite, ele permanecia internado.

 

Relatos

A família do chapecoense Paulo Magro Junior, 19 anos, relatou o drama que o filho passou. Ele é de Chapecó, mas morava em Santa Maria (RS) onde cursava Medicina Veterinária. O pai, Paulo Magro, confirmou que o filho estava na boate Kiss, no momento que o incêndio começou.

Segundo o pai da vítima, ele estava muito próximo a porta principal. “Por isso, conseguiu sair rápido do local e não se feriu.” Ainda assim ele permaneceu nos arredores da boate para ajudar no resgate das vítimas. “Ele está bem fisicamente, mas está muito abalado. Perdeu vários colegas”, conta o pai.

A mãe do estudante estava em Santa Maria visitando o filho. “Assim que ele saiu da boate, ligou para a mãe avisando que estava bem. Em seguida, ela me ligou aqui em Chapecó e eu fui ao encontro deles”, relata.

 

Fonte: Redecomsc


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!