Estado aumentará salário dos professores

02/02/2013 07:53

 

O reforço no salário acontecerá durante o ano

 

 



 

Apesar das dificuldades do Estado em reajustar a folha de pagamento dos funcionários em 2013, a Secretaria de Educação encontrou uma fórmula para organizar a folha de pagamento de acordo com o a qualificação dos profissionais. A folha custará este ano para a pasta R$ 250 milhões. Além do reajuste do piso nacional de 8% que todos receberam, dependendo da graduação dos professores o salário poderá aumentar de 12% até 15% no valor real sem considerar vale alimentação, triênios e regência de classe.

Todos os professores catarinenses começaram o ano recebendo os R$ 1.567 referentes ao piso exigido pela Lei federal. Para o caso de professores com graduação, por exemplo, a proposta do Estado é pagar R$ 182 a mais, somados aos R$ 1.490 pagos atualmente e totalizando R$ 1.672. Esse valor será reajustado durante o ano. “Nós sugerimos que esse aumento aconteça em duas etapas, a primeira em abril e a segunda em outubro”, explicou o secretário de Estado da Educação, José Eduardo Deschamps. Todos os valores foram apresentados para os representantes do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica) do Estado.

Esse reajuste é o proposto para 2013, entretanto, o Governo já realizou uma projeção de aumentos até 2015. Trata-se da descompactação da tabela salarial que contemplará ganhos de 30% até 100% em cima do valor atual do piso, levando em consideração a graduação do docente. “Para chegar a esse ponto, teremos um impacto de R$ 800 milhões na folha de pagamento. Por isso precisamos dissolver esse processo em um tempo maior”, comentou Deschamps. Da receita total do Estado em 2013, 29% está reservada para a educação, um total de R$ 3,7 bilhões. Esses valores serão repassados, além da folha de pagamento, para investimentos pedagógicos e estruturais das escolas estaduais catarinenses.

 

Gestão

Todas as propostas serão encaminhadas para aprovação da Assembleia Legislativa. Para o aumento deste ano, a intenção da secretaria de Estado da educação é que o projeto seja levado até 8 de fevereiro. “Queremos construir tudo com o Sinte. Essas não são ideias finais”, afirmou o secretário.

Além do reajuste salarial, as adequações da secretaria de estado da Educação também passam pela gestão das escolas estaduais. Ao contrário do ano passado, quando foram contratados 24 mil professores ACTs (Admitidos em Caráter Temporário), a ideia do Estado é trazer, no máximo, 12 mil novos docentes nessa situação. Além disso, foram chamados 2.000 professores aprovados em concurso público que iniciam os trabalhos neste ano letivo.

Segundo o secretário de Estado da educação, Santa Catarina tem uma relação de um professor para 12 alunos, quando o ideal é que um para 20. “É uma questão de otimização da rede, evitando abrir turmas desnecessárias e trazer novos alunos para o Ensino Médio, onde há menos alunos em sala de aula”, explicou.

Os representantes do Sindicato pediram até terça feira para analisar o projeto. “Por enquanto, pelo que vimos a proposta não cumpre todas nossas exigências ao Estado”, afirmou a vice-coordenadora do Sinte, Janete da Silva.

 



Fonte: ND | Foto: Divulgação

 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!