José Dirceu esteve em Chapecó

22/02/2013 22:13

 

Chapecó – O ex-ministro chefe da Casa Civil e ex-deputado federal, José Dirceu (PT/SP), esteve no fim da tarde de ontem em Chapecó, onde fez uma palestra sobre os 33 anos de criação do PT e os dez anos que o partido está na presidência da República, com Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. A deputada federal Luci Choinacki e o deputado estadual Dirceu Dresch estiveram presentes ao ato, além de prefeitos, vereadores e lideranças petistas de toda a região Oeste.

Antes da palestra, Dirceu falou brevemente com a imprensa. Disse que o PT, através dos governos Lula e Dilma, mudou o Brasil para melhor. Ele citou a distribuição de renda – que tirou milhões de pessoas da linha da pobreza – e a geração de empregos e renda como principais ações. Questionado sobre sua condenação no escândalo do “mensalão”, ocorrida no fim do ano passado, Dirceu limitou-se a dizer que seus advogados vão entrar com recurso assim que o Acórdão sair.

Avanços

Fazendo um balanço da trajetória histórica do partido e dos avanços obtidos em uma década de governo federal petista, ele lembrou a luta contra a ditadura militar (1964/1985) e ressaltou a conquista histórica da redemocratização do País, lembrando a luta dos sindicatos e trabalhadores para tornar o Brasil mais justo e igual. Dirceu ainda comentou sobre os desafios para o futuro do PT no Brasil e que em 2014 a presidente Dilma será oficializada como candidata à reeleição.

Condenação

Na palestra, Dirceu falou sobre sua condenação no Supremo Tribunal Federal (STF), dizendo que provará sua inocência. Em 12 de novembro do ano passado, os ministros do STF condenaram, por nove votos a dois, ele à pena de dez anos e dez meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha, no julgamento do “mensalão”, além de multa de R$ 676 mil. Como a pena ficou acima de oito anos, se não conseguir reverter a sentença, o ex-ministro cumprirá a punição em regime fechado.

Histórico

José Dirceu foi líder estudantil entre 1965 e 1968, ano em que foi preso durante uma tentativa de realização do XXX Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE). Em setembro de 1969, com mais quatorze presos políticos, foi deportado para o México, em troca da libertação do embaixador norte-americano Charles Burke Elbrick. Posteriormente se exilou em Cuba. Em 1975, retornou clandestinamente ao Brasil, estabelecendo-se em Cruzeiro do Oeste, no interior do Paraná.

Com a redemocratização do País, em 1980, ajudou a fundar o PT, do qual foi presidente nacional durante a década de 90. Foi deputado estadual e federal por São Paulo. Em 2002, coordenou a campanha que levou à eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à presidência da República, em cujo governo exerceu o cargo de ministro-chefe da Casa Civil de 2003 a 2005, quando foi acusado de liderar o esquema conhecido como “mensalão”. Deixou o cargo e retornou à Câmara, mas teve o mandato cassado.

2ª visita

Esta foi a segunda vez que José Dirceu esteve em Chapecó. A primeira foi em 18 de novembro de 2011. Na ocasião, o ex-deputado esteve participando da plenária especial de planejamento do mandato do deputado Dresch. Dirceu aproveitou a visita para fazer o lançamento do seu livro ‘Tempos de Planície’, que reúne textos publicados em forma de artigos em diversos jornais do País nos últimos anos.

 

Fonte: RedeComSC

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!