SUDOESTE: Gêmeos são salvos por atendimento ágil e transporte em UTIs do Samu 192

26/04/2013 23:06

 


Cynthia, 22, veio de Blumenau (SC) para visistar a mãe em Capanema quando entrou em trabalho de parto. Grande equipe de saúde e samuzeiros marcaram sua história.

 



 

Valentina e Victor recém nasceram e são protagonistas de um enredo impressionante, que inclui sair do invólucro placentário para viajar quase 140km em ambulância UTI.

Os gêmeos estavam crescendo no aconchego da barriga da mãe Cynthia Alves dos Santos, 22, quando ela e o marido Rogério Brum saíram de viagem de Blumenau (SC) com destino a Foz do Iguaçu e Capanema. A família chegou ao Sudoeste na tarde desta segunda-feira (22). Na casa de sua mãe, às 2h daquela madrugada, Cynthia, que trazia um pré-natal tranquilo e viajou com autorização de seu médico, começou a sentir dores. “Eu sentia uma cólica menor que a menstrual e não dei bola”, contou.

Mas às 11h da manhã de terça foram até o Hospital Sudoeste Ltda, quando o médico de plantão encaminhou ao especialista e este constatou que os gêmeos estavam a caminho, indicados pelos seis centímetros de dilatação, na gestação de 30 semanas, correspondente a sete meses e meio.

Os gêmeos prematuros nasceram de cesárea às 13h30, mas ambos precisavam de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, daí o Samu 192 foi acionado e a Central de Regulação deu ordem de deslocamento para duas Unidades de Suporte Avançado (USA) com destino a Capanema. A Base Descentralizada de Realeza enviou uma ambulância UTI e a Base de Francisco Beltrão enviou a outra. A partir de dados da Central de Regulação do Samu 192, temos que os envios das equipes se deu às 14h38 (Beltrão) e as 14h40 (Realeza).

 

Duas ambulâncias

 

Valentina nasceu com 1.320kg e Victor com 1.370 kg. Fazer a transferências dos bebês de Capanema para o Hospital São Francisco, em Francisco Beltrão, com todo o respaldo das ambulâncias UTI, que trabalham com um médico, um enfermeiro e um condutor socorrista, foi fundamental para assegurar a vida e o pleno desenvolvimento dos bebês.

Os bebês nasceram pelas mãos do médico ginecologista e obstetra Vlademir Antonio Zuliane, que atendeu no Hospital Sudoeste Ltda, mas também é médico do Samu 192 na Base de Realeza e do médico pediatra Mauro Magalhães Vidal. “Sabemos que o melhor lugar para transportar bebês que necessitam de cuidados intensivos/especiais seria no ventre de sua mãe, porém também sabemos e estamos sempre preparados para o fato de que em algumas vezes, e que não são poucas, teremos que realizar o procedimento no nosso hospital, seja ele parto normal/cesáreo de urgência e acompanhamento do RN, seja ele estável e /ou prematuro; que neste caso gemelares e com 30 semanas de gestação. Preparamos as nossas condições de incubadora e berço aquecido, assim como estávamos preparados para qualquer necessidade de reanimação cardiopulmonar. Logo após a estabilização dos nossos referidos pacientes começamos a procura por UTI neonatal”, informaram os médicos.

 

A emoção da mãe

 

No fim da tarde desta quarta-feira (24), antes mesmo de ver seus filhos, Cynthia concedeu uma entrevista à Assessoria de Imprensa do Samu 192 Sudoeste. “Se não fosse a atitude deles de resolver e encaminhar meus filhos não sei o que seria. Fiquei segura desde o atendimento dos médicos e dos enfermeiros e sabia que dentro da ambulância meus bebês já tinham o atendimento. Não consegui vê-los quando eles nasceram, só os vi por foto. Agora estou bem, mas na hora que fiquei sabendo que eles nasceriam fiquei nervosa. Não esperava que eles nascessem agora, pois na minha gravidez nunca tive nenhum risco. Sabia que eram dois, mas nunca tive qualquer ameaça de aborto. Eu só viajei pra cá porque o médico disse que estava tudo bem e que não tinha problema. Viemos de carro parando de duas em duas horas, quando eu repousava. Agora, assim que eu receber alta vou para Beltrão encontrar meus filhos”, revelou Cynthia, ansiosa.

Do lado dos médicos, eles afirmam estarem muito satisfeitos como equipe materno-infantil. “Temos um sentimento agradável e de dever cumprido; e um estado emocionalmente positivo destes médicos perante a manutenção da vida para estes “pequenos” pacientes e sua mãe, oferecendo não somente a técnica médica qualificada e mantendo-se estáveis desde o seu nascimento, a espera de liberação da vaga até a chegada do atendimento da Samu”.

 

Agilidade

 

“O acionamento do Samu 192 foi realizado rapidamente, no qual logo fomos atendidos com rapidez e agilidade. Mesmo antes de nos liberar vaga em hospital referência, a medica reguladora liberou duas ambulâncias UTI (bases Realeza e Francisco Beltrão) para acompanhamento dos gemelares”, atesta Zuliane.

O médico acrescentou que “se fossemos dar nota, seria 10 com muito louvor, desde a atendente Ana Paula, assim como para a médica reguladora Fabiana Romanato, com atenção especial ao caso. Ficamos em contato constante com estes dois profissionais, assim como agilização rápida de ambas as equipes Samu, os médicos Adrian Joseph Ramos e Ricardo Barbosa de Lima, com suas enfermeiras e condutores, com equipes de fácil compreensão e agradáveis para o bom desfecho do transporte”, listaram Vlademir Zuliane e Mauro Magalhães.

 

Participantes da história

 

O caso motivou toda a “Família Samu 192 Sudoeste”, pois além de garantir a felicidade da família de Cynthia e Rogério por poderem em breve abraçar seus filhos Valentina e Victor; ainda dá a todos a segurança de poder contar com um serviço de emergência que cobre todo o Sudoeste e está apto a resolver os casos mais difíceis.

Por isso, o Samu 192 faz questão de enumerar os nomes dos que trabalharam no caso, além dos médicos já citados, inclusive na Central de Regulação: onde a técnica auxiliar de regulação médica (TARM) foi Ana Paula Ramos Pedroso, a rádio operadora foi Denielly Arruda Rodighiero, os condutores socorristas de cada uma das ambulâncias UTIs foram Carlos Henrique Ferreira e Rafael Vargas e as enfermeiras Márcia Inês Rocha da Silva e Charline Laura Golin. Houve ainda a participação do médico regulador André Octavio Nicolau Sanches, que concluiu o caso às 18h16, quando as ambulâncias retornaram para as bases.

“Queremos agradecer a nossa equipe de enfermagem do Hospital Sudoeste pelo bom desempenho e agilidade nos processos que foram necessários, secretárias para o bom desfecho do caso, assim como Dr. Alberto, diretor-clinico deste hospital. Não esquecendo de agradecer a equipe pediátrica da dra Irides, do Hospital São Francisco de Francisco Beltrão, que aceitou os referidos pacientes para um cuidado intensivo.Ou seja, quando uma equipe trabalha unida e com respeito a todos os profissionais em qualquer que seja o lugar, unidos faremos uma medicina com final satisfatório”, concluíram Zuliane e Magalhães.

 



Fonte: Assessoria de Imprensa SAMU | Foto: Reprodução

 
 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!